• Tendência Inclusiva

EMPREGO APOIADO


Coluna de Luciane Kadomoto

EMPREGO APOIADO – Metodologia para a Inclusão Qualitativa no Mercado de Trabalho.

O Emprego Apoiado é uma metodologia personalizada para a inclusão de Pessoas com Deficiência Severa e/ou com necessidades mais significativas para o Mercado de Trabalho.

Surgiu nos Estados Unidos, no final dos anos 80, como projeto piloto de Universidades Norte-americanas que buscavam alternativas para a inclusão de pessoas com deficiência intelectual.

Com o passar do tempo, o método se desenvolveu e passou a atender pessoas com transtorno mental, autismo, deficiência múltipla, entre outras.

No Brasil, foi introduzido na década de 90 através do Professor Romeu Sassaki, Presidente da Associação Nacional do Emprego Apoiado (ANEA), Consultor, autor de livros e revisor de artigos, normas, leis, regimentos e cartilhas sobre a Inclusão Social. Seus escritos são referência para estudos e práticas nas importantes Universidades do Brasil, como na Universidade Federal de Santos e na PUC SP (Pontífica Universidade Católica de São Paulo).

Como é o serviço dessa metodologia?

Primeiramente foca nas capacidades, habilidades, interesses, talentos e escolhas da pessoa. Reconhece as necessidades de apoio para a obtenção de emprego, assim como para a sua manutenção e seu desenvolvimento profissional.

É verificado a vontade, afinidade e interesse da pessoa e da empresa para que essa inserção seja eficaz, qualitativa e natural.

Para que haja bons resultados, há o treinamento personalizado no próprio local de trabalho, tento como facilitador um profissional qualificado pela ANEA ou pelas Instituições que oferecem este tipo de serviço. APAE de São Paulo, Carpe Diem, ADID (Associação para o Desenvolvimento Integral do Down) e a Sociedade Pestalozzi de São Paulo já utilizam essa metodologia para a inclusão qualitativa da Pessoa com Deficiência Intelectual para o Mercado de Trabalho.

Considerações sobre o emprego apoiado de Romeu Kazumi Sassaki

Presidente da Associação Nacional do Emprego Apoiado (Anea)

“A quem interessa o "emprego apoiado"? O tema "Emprego Apoiado" é da maior importância política para a sociedade em geral, na qual destacamos o segmento populacional composto, em termos nacionais, por cerca de dois milhões de pessoas que, para serem colocadas no mercado de trabalho competitivo, necessitam contar com os serviços especializados de Emprego Apoiado, ou seja, serviços que não são oferecidos pelos programas tradicionais de colocação laboral de pessoas com deficiência severa. Esta necessidade afeta ao menos três familiares para cada pessoa que precisa de emprego apoiado, o que totaliza oito milhões de pessoas, sendo dois milhões com deficiência severa e seis milhões de familiares sem deficiência.

De que trata o emprego apoiado? O emprego apoiado é definido como trabalho competitivo, em recintos inclusivos, desempenhado por: (a) pessoas com deficiência severa que nunca trabalharam fora das entidades sociais ou (b) pessoas para quem o emprego competitivo tem sido intermitente ou interrompido em consequência de deficiências severas e que, por causa dessas deficiências, necessitam serviços de apoio contínuo para desempenhar tal trabalho. Para isso, utiliza-se a lógica colocar-e-treinar e não a tradicional treinar-e-colocar.

Qual é o seu fundamento legal?

O termo “emprego apoiado” ainda não consta na legislação brasileira. Mas, ao mesmo tempo, a possibilidade de se praticar o emprego apoiado está muito clara no art. 35 do Decreto nº 3.298, de 20/12/99. Esse artigo diz que "são modalidades de inserção laboral" da pessoa com deficiência: ”I – colocação competitiva: processo de contratação regular, nos termos da legislação trabalhista e previdenciária, que independe da adoção de procedimentos especiais para sua concretização, não sendo excluída a possibilidade de utilização de apoios especiais; II – colocação seletiva: processo de contratação regular, nos termos da legislação trabalhista e previdenciária, que depende da adoção de procedimentos e apoios especiais para sua concretização; §2º - Consideram-se procedimentos especiais os meios utilizados para a contratação de pessoa que, devido ao seu grau de deficiência, transitória ou permanente, exija condições especiais, tais como jornada variável, horário flexível, proporcionalidade de salário, ambiente de trabalho adequado às suas especificidades, entre outros. §3º - Consideram-se apoios especiais a orientação, a supervisão e as ajudas técnicas", entre outras.

Para que foi instituída a Anea? A Anea (Associação Nacional do Emprego Apoiado) foi criada na capital paulista em 16/5/14 com o CNPJ n. 20.853.275/0001-85, a fim de associar todos os que estejam implicados na questão laboral de pessoas com deficiência severa e que desejem ajudar no desenvolvimento do emprego apoiado no Brasil. O e-mail da Anea é: empregoapoiadobrasil@gmail.com “.

Para maiores informações, deixamos os contatos do Dr. Romeu Sassaki:

e-mail: romeukf@uol.com.br

Luciane Kadomoto

CRP 06/4757/J



© Copyright Tendência Inclusiva  2014 / 2020