• Tendência Inclusiva

DIREITOS HUMANOS E DIVERSIDADE


Para quem ainda não conhece nossa editora chefe não entenderia quantas coisas esta mulher de muito fibra é capaz, por isso tomei a liberdade de falar um pouco da sua trajetória e de um novo marco em sua carreira que, certamente, influenciará a Revista Digital Tendência Inclusiva.

Adriana Buzelin era, dentre outras atividades que exercia, modelo publicitária antes de sofrer um acidente automobilístico em 1991 que a deixou tetraplégica. Na época, ainda jovem, cursava seu primeiro curso superior na área de Comunicação Social se especializando em Relações Públicas. Movida a desafios, Adriana, retomou sua vida estudando muito tanto que,além de relações públicas, cursou produção editorial, design gráfico. Com vários cursos de relacionados as artes plásticas e história da arte, foi premiada com diploma de honra ao mérito pela Câmara dos Vereadores de Belo Horizonte com sua obra em cerâmica denominada Favela.


Favela - Obra feita em Cerâmica

Trabalhando, rompendo preconceitos e quebrando paradigmas, é a primeira cadeirante tetraplégica a ser registrada em mergulho acessível pela HSA/Internacional e a primeira modelo inclusivo agenciada no estado de Minas Gerais voltando a exercer a profissão que já dedicava antes de se acidentar fazendo parte do casting da agência de modelos inclusivos que recebe meu nome.

Sempre muito dinâmica, antes e após se acidentar, por vir de família de artista começou a tocar piano na sua infância, assim com ballet clássico. Já na adolescência praticava natação e karatê. Também atuava como produtora de bandas de músicas e promovendo artistas plásticos.

No 13 de novembro de 2014, fruto de uma a inspiradora trajetória no universo da inclusão e na diversidade, Adriana cria a Revista Digital Tendência Inclusiva, revista ainda sem fins lucrativos, que vem trazendo, juntamente com seus colunistas colaboradores, artigos que questionam e apresentam tendências fazendo com que o leitor se sinta integrado e reflexivo.


Foto do ensaio através da Agência de Modelos Kica de Castro para Revista Reação

Mas ela não para...

Ela já promoveu artista com deficiência fazendo parte do Very Special Arts no Brasil, foi colunista do Portal 2/1 Revista Eletrônica, é colunista colaboradora da Revista Reação onde fala sobre esportes e aventuras radicais adaptadas e do Portal DasPlus onde fala de autoestima e aceitação das diferenças. Também Produtora do Programa Viver Eficiente que aborda temas relacionados a pessoas com deficiência, Representante do Estado de Minas Gerais da ONG Essas Mulheres que defende mulheres com deficiência vítimas de violência e, sempre que pode, contribui como membro da Associação ASA TEA- MG (Associação da Síndrome de Asperger do Transtorno no Espectro do Autismo) e com ONGs de Proteção aos Animais.

Em 2016, Adriana Buzelin, para surpresa de todos, se candidatou a Vereadora pelo Município de Belo Horizonte (MG) através do Partido Verde e, apesar de não ter sido eleita, foi a mulher mais votada do partido levando consigo o slogan Plante essa Ideia.


Agora, Adriana Buzelin, foi escolhida pela Presidente Daniela Carvalhais para fundar a Secretaria de Direitos Humanos e Diversidade do Partido Verde de Belo Horizonte.

Parabéns Adriana Buzelin, sabemos que irá nos representar com louvor, afinal sua luta pela inclusão social e respeito a diversidade não vem de hoje.

Deixo aqui um texto onde Adriana fala sobre esta nova empreitada desafiadora assim como ela gosta!

"É com muita honra que assumo a Secretaria de Direitos Humanos e Diversidade do Partido Verde do Município de Belo Horizonte - MG! Na Revolução Francesa, de 1789, apareceram os três conceitos que deram origem à democracia moderna: Liberdade, Igualdade e Fraternidade.Na sociedade evoluída as diferenças precisam ser respeitadas, pois cada pessoa é única e assim nenhuma é igual à outra, porém em dignidade todas precisam ser tratadas de forma igual. Não se pode esperar que todos pensem e ajam da mesma forma, tenham as mesmas preferências, possuam as mesmas habilidades e condições, mas se pensarmos em termos de Fraternidade, essas diferenças servem apenas mas nos individualizar, mas não devem nos separar. Defendo o respeito à diversidade humana, pois somos afinal todos humanos, seja qual for a nossa cor, gênero, origem, opção de vida, deficiência ou qualquer outro atributo pessoal. Como humanos, somos irmãos e antes de pensarmos em Igualdade e Liberdade, valores que nos são tão caros, precisamos incorporar a ideia da Fraternidade às nossas leis, aos nossos costumes e assim construirmos uma nação plural, mantendo-nos às nossas origens multirraciais e multiculturais. Que as diferenças sejam respeitadas, pois isto significa LIBERDADE; que as diferenças não gerem privilégios impróprios, pois isto significa IGUALDADE; que todos trabalhem para uma cidade de todos e para todos, pois isto significa FRATERNIDADE e que ninguém seja discriminado pelo que é, pois isto é aceitação da DIVERSIDADE. Agradeço a todos que confiaram em mim e divido com vocês essa conquista!"

Acesse: www.adrianabuzelin.com.br


Kica de Castro é publicitária e fotógrafa que tem uma agencia de modelos para profissionais com alguma deficiência, desde 2007. Anos de trabalho provando que beleza e deficiência não são palavras opostas e os resultados podem ser vistos em editoriais, exposições e passarelas. Colunista colaboradora das Revistas Reação e Tendência Inclusiva. Diretora e apresentadora do Programa de TV Viver Eficiente.

www.kicadecastro.com.br

#kicadecastro

© Copyright Tendência Inclusiva  2014 / 2020