• Tendência Inclusiva

OS FLORAIS E AS PERDAS


Mas afinal, o que me tira do prumo?

Existe o luto da perda dos pais, de um parente, de um amigo, do cônjuge, do filho... mas também existem outros lutos que muitos não consideram, que também trazem a sua dor profunda e que precisam de uma forma ou de outra, serem trabalhados.

Há alguns anos atrás uma cliente me procurou para tratar da tristeza de ter tido uma gravidez interrompida, no caso dela, por causas naturais. E que isso já fazia 6 meses e as pessoas ao seu redor a criticavam por ainda estar triste.

O que aconteceu aqui?

Além do luto do filho que ela não se sentia apoiada para ultrapassar essa situação, tinha o luto dos sonhos envolvidos. Sim, dos sonhos. As mães enquanto geram seus filhos, elas projetam um caminho de felicidade para os mesmos, elas fazem planos das primeiras papinhas, dos primeiros passinhos, dos primeiros amiguinhos, algumas inclusive conseguem enxergar a criança já vivendo o seu primeiro dia de aula! E toda essa expectativa sumiu da frente dos seus olhos, como se fosse uma bolha de sabão que estoura com o vento.

Em outras situações, temos as pessoas que entendem que tudo é para sempre. O primeiro amor é o único, os pais são eternos, os casamentos são indissolúveis, o primeiro emprego vai durar até a aposentadoria, os amigos de infância todos estarão unidos no decorrer da vida, enfim. E o decorrer da vida mostra que as coisas não são bem assim.

Em outras esferas, temos os animais domésticos. Um cachorro ou gato são somente um cachorro ou um gato para os que (independente do motivo) não desfrutam do convívio, pois o sentimento de seus donos, é que são um membro da família, e quando cumprem sua missão terrena e partem é um pedaço da pessoa que foi junto.

Em outro momento temos os sonhos.

Ah, quantos planos! Milimetricamente imaginados. Eles tinham cor e cheiro! Eram recheados de alegria e prosperidade! Mas as escolhas ao longo da vida acabam por tirar a maioria das pessoas de seus tão almejados projetos.

E alguns relacionamentos?

Um ano. 5 anos. 10 anos. 30 anos. 40 anos. E quando vê, tudo aqui não existe mais! Aonde está o chão e o céu? Não deu certo? Deu sim. Deu certo 1 ano. 5 anos. 10 anos. 30 anos. 40 anos. Mas depois os caminhos se separaram, e não por uma escolha do momento, mas sim as histórias já vinham se separando, e um dos dois fez questão de não enxergar.

São muitos os exemplos. E na verdade, tudo é luto. Cada um na sua amplitude, cada um com sua dor, cada um com sua dificuldade de aceitação. E todos precisam de apoio para se curarem.

No caso das Terapias Holísticas, Complementares e Integrativas, o tratamento com Florais conduz com muita amorosidade esse processo de aceitação da nova vida e a redescoberta da vontade de viver.

Eu costumo dizer aos meus clientes e alunos que se Florais fossem gotinhas inofensivas, elas não curavam, e um dos maiores equívocos que as pessoas cometem, é de chegar numa farmácia, ler rótulos, comprar um floral qualquer e sair tomando. O risco de piorar fazendo isso, é grande.

Se você passa por uma situação difícil e sente que uma Terapia Floral possa lhe auxiliar, procure um Terapeuta Floral. Ele (a) investiu muito em conhecimento e com isso criou sabedoria o bastante para lhe auxiliar nessa jornada.

Quanto tempo dura um tratamento?

O suficiente para lhe ajudar a redescobrir a cor do céu e o perfume da flor.

Que na próxima edição eu os encontre em paz!

Krishnaya



Krishnaya é Terapeuta Holística com especialização em Acupuntura, Auriculoterapia, Acupuntura sem Agulhas, Massoterapia com Especializações, Numerologia, Radiestesia, Mesa Radiônica Espiritual, Mestre em Reiki em diversos Sistemas, Medicina Tradicional Chinesa, Metafísica, Mantras e Meditação, além de outras formações dentro da área Holística, Alternativa e Complementar. Atua em atendimentos e Cursos Livres no modo online e presencial, além de palestras e Work Shops com Vivências de Coaching Holístico.

www.krishnaya.com

krishnaya@krishnaya.com

#krishnaya

© Copyright Tendência Inclusiva  2014 / 2020