• Tendência Inclusiva

05 DE SETEMBRO - DIA DO IRMÃO.

Atualizado: 9 de Fev de 2019


Para celebrar essa data, Márcio Buzelin, publicou em sua rede social, uma carta para sua irmã Adriana Buzelin. Confiram:

Carta para Adriana minha irmã:

Oi Dri,

Desde que me lembro como pessoa, você estava lá. Afinal quando eu nasci você achava que eu era o seu boneco novo que ganhou de presente.

Somos filhos dos mesmos pais, vivemos juntos durante muitos anos, dividimos quarto quando crianças em Brasília , estudamos nos mesmos colégios , você me protegia quando éramos pequenos (afinal só você podia me bater, rs).

Apesar de termos algumas características diferentes, temos muita mais coisa em comum, pois fomos educados com os mesmos padrões, passamos por várias dificuldades, filhos de dois funcionários públicos muito batalhadores e trabalhadores, que queriam nos dar o básico para tentarmos vencer neste mundo tão competitivo e muitas vezes injusto.

Sempre tivemos muita ética, muitos valores nobres em defender e amar os animais, respeitar os mais velhos, os menos favorecidos , nunca nos aproximamos de pessoas por interesses, não perdemos nossas dignidades e nunca tivemos medo da vida, por mais desafiadora que ela se apresentou muitas vezes. Sempre nos horrorizamos com a violência e fomos por grande parte de nossas vidas , diria eu fomos até ingênuos se comparado a tanta articulação maluca que existe por aí .

Somos pessoas simples graças a Deus!


Sempre tivemos ambições e sonhos, nunca tivemos ganância! Preguiça nunca fez parte de nossas características, nunca fomos meninos mimados. Aliás, temos que agradecer muito por nossas infâncias! Foram lindas.


Mas me lembro como se fosse ontem da noite em que você saiu de casa pra ajudar mamãe em um vernissage e não voltou pra casa.

Estávamos numa fase extra difícil financeiramente, morando eu, você e nossa mãe de favor na casinha da vovó Márcia na periferia de BH.

Lembro que você ia de ônibus para a faculdade, geralmente vestida de preto, e eu sempre tocando na noite.

Naquela noite veio nosso maior desafio da vida até então... o acidente automobilístico que te deixou tetraplégica.

Perdeu quase tudo, quase todos os movimentos, o noivo, os estudos, os sonhos, o tempo , a voz, mas não perdeu a esperança é a dignidade!

Dias depois vieram as cirurgias e todo aquele choque de realidade , e em pouco tempo estava eu como seu acompanhante no Hospital Sarah Kubitschek em Brasília para te ajudar a sobreviver.

Quando cheguei lá, vi de longe você no pátio. Você estava de roupa de hospital azul claras, branca, cabeça raspada cheia de machucados, amarrada na cadeira, com o soro no braço, muito pálida e de olheiras pretas, movimentando só os olhos e me disse: “Oi Mar, olha o que eu virei!”.

Segurei o meu choro e tratei de te ajudar naqueles meses que nem sei mais dizer quantos foram. Larguei a escola, larguei meu trabalho, larguei tudo. Alguém precisava te ajudar.

Mesmo para as necessidades mais básicas você começou a depender de outra pessoa.

Voltamos pra Belo Horizonte 6 meses depois de não me engano, e você me disse outra frase que guardei: “Quando eu durmo , eu vivo...quando acordo, estou no pior pesadelo” .

Dormi ao seu lado anos e anos seguidos te ajudando a suportar aquele inferno.

Saíamos na rua e não havia nenhum tipo de infra estrutura na época pra que você tivesse o mínimo de condição de locomover-se ao menos.

As pessoas há 26 anos atrás olhavam pra você como se você fosse uma extra terrestre, apontando o dedo assustadas , o que me dava muita raiva e angústia. Sempre pensava comigo mesmo mas nunca te disse: “Meu Deus, como essa pessoa pode suportar isso 24 horas? Como pode ter tanta força de vontade? Como pode ser tão forte?”

De lá pra cá muita coisa aconteceu.

Meu sonho de ter uma banda grande deu certo depois de muito trabalho, dedicação, fé nos sonhos, por mais intangíveis que estes possam parecer no início.

Você até aprendeu a dirigir após recuperar movimentos quase impossíveis de conquistar, mesmo após diagnósticos e provisões mais pessimistas de vários e vários médicos que te desacreditavam a cada consulta, e você discutia com eles sempre.

Criou o primeiro site de uma banda no Brasil, a do Jota Quest! Criou depois uma revista digital para ajudar a conscientizar as pessoas e auxiliar os menos favorecidos com informação e conhecimento (a melhor arma que a vida te oferece), se tornou artista plástica, casou-se, movimentou-se muito mais do que fisicamente.

Aquela menina que falava somente comigo entre um exercício respiratório e outro, quase sem voz há 26 anos, hoje fala de cabeça erguida para muitas pessoas como candidata a vice governadora do Estado de Minas Gerais.

Dri, meu voto é seu, e não é para esta eleição somente.

Meu voto é seu para a vida. Como que posso não acreditar em você? Como posso duvidar de você?

Você já ganhou mil vezes !

Tem hoje a oportunidade de ajudar a muitos que sofrem covardia dessa sociedade psicopata que convivemos.

Você é a analogia em pessoa do povo brasileiro. Sofre injustiça, não desiste, e lutadora, tem esperança, teve que aprender as duras penas, já foi traída ( você talvez pelo destino) !

Sei que conseguirá suportar a este mundo sujo e corrompido da política pois tem força , valor e dignidade pra isso sem se corromper, e principalmente, você tem um PROPÓSITO VERDADEIRO e LEGÍTIMO que pode dar sentido a sua vida e a tudo que já viveu até aqui. Ajudar as pessoas que tanto sofrem covardias do sistema em que vivemos.

Parabéns Dri, você é "foda". Estamos só no começo.

Te amo.

Seu irmão Marcinho.


Fonte: https://www.facebook.com/marcio.buzelin.1/posts/2227392724159896?__tn__=K-R

#tendenciainclusiva

© Copyright Tendência Inclusiva  2014 / 2020